north-american-p-51-mustang-photo

Durante a segunda guerra mundial todas as áreas tecnológicas experimentaram grandes saltos e a aeronáutica é uma delas. Se no começo da guerra o melhor caça em operação mal passava dos 500 kms/h no final da guerra ultrapassavam os 700 kms/h facilmente sem falar nos primeiros caças a jato que é coisa de outro post.Falando em Warbirds que é como se costuma, esta lista reúne 10 dos mais famosos caças da segunda guerra mundial.

Antes que alguém se pergunte o mérito da escolha das máquinas aqui listadas saiba que elas foram selecionadas de forma subjetiva sem seguir especificamente o critério do desempenho técnico e nem sequer estão mencionados em ordem de qualidade, ok? Então vamos ver a lista:

Yakovlev Yak-3, URSS

Tratando-se de um caça da URSS pouco se soube deste avião aqui no mundo ocidental, mas ele foi tão determinante quanto o P-51 foi para os americanos.O pouco que era conhecido dele vinha da experiência dos franceses do esquadrão Normandie-Niémen que eram franceses exilados na Rússia que lutaram contra os nazistas. Stalin ordenou equipar este esquadrão com o melhor da industria soviética e por isso receberam os Yak 3. Os franceses consideravam este caça superior ao P-51 e ao Spitfire inglês.

Uma curiosidade foi que em reconhecimento do valor e dos serviços prestados em batalha Stalin deu de presente aos pilotos do Normandie-Niémen os Yak 3 que voaram durante a guerra. Quando pousaram em Paris houve uma cerimonia e quando tudo acabou os pilotos foram despojados dos seus aviões e nunca mais os viram…

yak-3m

P-51, USA

O Cadillac dos céus! Um design impecável, um motor fantástico e talvez seu melhor atributo, o raio de alcance. Graças aos seus tanques auxiliares externos podia dar cobertura aos bombardeiros que martelavam o interior da Alemanha e ainda voltar para casa. O P-51 foi o caça que permitiu o desmantelamento da industria nazista porque podia proteger aos bombardeiros em todo o trajeto de ida e volta da missão.

Este caça veio a cumprir esta importante tarefa histórica sem a qual os bombardeiros teriam sido dizimados sobre os céus alemães como acontecera em 1943.

Considerado por quase tudo mundo como o melhor caça da guerra era maiormente caça de escolta de bombardeiros e na sua tarefa secundaria atacava aeródromos alemães. Sobre o final da guerra se transformou em caçador de jatos como o Me-262.

north-american-p-51-mustang-photo

Lavochkin La-7, URSS

O último da série “La” foi tão importante quanto o Yak-3 já que formava parte da espinha dorsal da aviação de caça da URSS. Inferior ao Yak-3 porém tão bom quanto qualquer caça que a Alemanha nazista tivesse na época o La-7 serviu muito bem na proteção de bombardeiros de mergulho que apoiavam as tropas em terra e na caça dos bombardeiros de mergulho inimigos.

O seu motor radial lhe permitia resistência ao fogo inimigo e também por isto não cumpria missões de grande altitude. Foi também o primeiro caça capaz de rivalizar com os alemães no combate vertical no qual o Me-109G era dominante.

la-7

P-38, USA

Um dos caças de design mais ousado de toda a guerra e dos mais eficientes também, cumpriu missões muito exitosas como avião de reconhecimento e também de ataque. Era tão cobiçado pelo exército quando ele apareceu que normalmente comandantes americanos cogitavam (e conseguiram mais ninguém admite) roubar unidades do P-38 que eram enviadas a outras regiões ou comandantes.

Foi um P-38 o caça que em missão de ataque surpresa de longa distancia abatera o avião de transporte japonês que carregava ao maior gênio militar japonês na época o almirante Yamamoto dando um dos maiores golpes ao poderio do Japão.

Foi também neste avião que em Julho de 1944 Antoine de Saint-Exupéry desapareceu durante uma missão de reconhecimento.

p-38

A6M Zero, Japão

Insuperável durante os primeiros anos da guerra o Zero foi uma surpressa desagradável para a marinha americana. Super leve e com um motor pouco potente porém que lhe permitia um longo alcance podendo realizar missões com mais de 8 horas nas mãos de um piloto experiente como aconteceu com a famosa saga do piloto Saburo Sakai que apos ser ferido voltou para casa e pousou o seu Zero após mais de 8 horas de voo em condições físicas inacreditáveis, meio cego e ainda meio paralisado.

O Zero só começou a ser superado pelos caças americanos em 1942 quando como consequencia da captura de um exemplar que fora estudado profundamente as fábricas americanas começaram a construir aviões com caracteristicas destinadas a anular as do Zero.

Muito vulnerável ao fogo inimigo, sem blindagem e ultrapassado por táticas modernas ainda assim o Zero se manteve ate o final da guerra sendo usado como Kamikaze.

mitsubishi-a6m-zero-zeke-142531

Spitfire, Inglaterra

Um dos caças mais conhecidos da guerra e o único caça aliado a lutar a totalidade do conflito, o Spirfire seria o grande herói da famosa batalha da Bretanha ou batalha da Inglaterra onde como disse Churchill nunca na historia tantos deveram tanto a tão poucos, referindo-se aos pilotos que lutaram e pararam nos céus a máquina de guerra nazista.

A vitoria na batalha da Inglaterra foi fundamental e o Spitfire ao lado do ultrapassado Hurricane tiveram importante papel nela. O Spitfire se encarregou de afastar os Me-109 alemães enquanto o Hurricane derrubava bombardeiros.

Superado no final da guerra principalmente pela pouca autonomia que tinha, o Spitfire ainda lutaria no Pacífico e na guerra de independência no Israel.

Supermarine-Spitfire-IX-FN-L-And-FN-K-fsx1

Me-109, Alemanha

O vilão… nascido para ter cara de mau mesmo, veterano que lutou em todas as frentes e em todos os tipos de missões. Do começo ao fim da guerra se manteve competitivo graças as constantes melhorias. Produzido em quantidades gigantescas foi o grande antagonista dos aliados. Sempre voando alto, os pilotos alemães o usavam como ave de rapina, despencando do alto atacando e fugindo.

Foi com este avião que pilotos como Erich Hartmann maior ás de todos os tempos ao atingir um total de 352 vitórias confirmadas com apenas 23 anos de idade voaram, era o preferido dos “Expertens”. Outros como Gerhard Barkhorn (301 vitórias), Günther Rall (275), Otto Kittel (267), Walter Nowotny (258), Wilhelm Bätz (237), Erich Rudorffer (224) realizaram prodígios de operabilidade com este avião.

Sem dúvidas foi o ícone da Luftwaffe e uma verdadeira lenda.

Me109G-23df-s

Fw-190, Alemanha

The butcherbird! Quando os ingleses encontraram por primeira vez um Fw-190 foi um shock porque o mais novo caça alemão era superior ao Spitfire em tudo. Meses se passaram antes de que a RAF pudesse apresentar um novo Spitfire que tivesse uma performance parecida.

O novo caça era polifuncional, servia como caça ou caça-bombardeiro, escolta, etc. Ainda tinha uma versão para caçar bombardeiros que podia carregar foguetes ou usar 4 canhões de 30mm MK108 que eram letais.

Alem do seu design bonito foi dos primeiros se não o primeiro a usar o cockpit tipo bolha que permitia visão em todas as direções. Foi talvez o melhor caça alemão da segunda guerra mundial.

fw-190

Vought F4U Corsair, USA

Se discute se foi ou não o melhor caça americano da guerra do Pacífico, alguns dizem que o F6F Hellcat era melhor, porém o famoso caça das assas de gaivota possuía caracteristicas únicas.

Podendo carregar armas de ataque a terra como foguetes e bombas e ainda servindo como caça de escolta o Corsair podia realizar uma variedade de missões que o Hellcat não podia fazer. Por isto o Corsair ainda seria utilizado na guerra da Coreia vários anos após o termino da segunda guerra mundial, altura para a qual o Hellcat já estava aposentado fazia tempo.

corsair

Nakajima KI-84 Hayate

Este sim era um caça realmente moderno, com ele o Japão deixava para atrás a doutrina de construir aviões leves e sem blindagem que visavam unicamente o Dogfight. O KI-84 era um caça sensacional, desde a manobrabilidade, passando pelo motor ate o armamento. Podia carregar nas primeiras versões 2 canhões de 20mm e para o fim da guerra era armado com 2 de 20mm e mais 2 de 30mm.

Em soma, poderia ter sido um problema sério para os americanos caso tivesse entrado antes na guerra.

Nakajima_Ki84_Hayate_N3385G_ONT_18.10.70_edited-3

Fontes na Wiki e aqui.

Os 10 melhores caças da segunda guerra mundial

stark


We have a Hulk ;-)


Post navigation


  • saimon

    pq o p40 kittyhawk n ta na lista? isso eh sério?

    • stark

      Olá Saimon seja bem-vindo!

      Então, ele estava entre os que eu pre-selecionei mas como os critérios que usei são SUBJETIVOS, como avisei no texto, acabou saindo da lista. Confesso que poderia ter dado uma menção de honra ao grande “tigre voador” que entrou na guerra já estando ultrapassado e que teve sucesso frente aos zeros exclusivamente pelo uso de táticas aprendidas dos alemães, isto é, voar alto, mergulhar, atirar e fugir. No dogfight teria sido aniquilado. Talvez por isso o tenha deixado de fora da lista.

    • lucas richard gonçalves

      Esqueceram do ME 262 e outros caças a reação alemães…

      • stark

        Olá Lucas,

        Então, foram deixados de fora de propósito. Eles merecem uma categoria e um post a parte só para eles!

  • Fabio Nasci

    No Boom and Zoom o P-51 era insuperável! Talvez só o BF-109 com um piloto experiente poderia alcançar as 6 dele. Acho que o YAK 9TK supera em tudo o YAK3, ja que poderia ser instalados nele os poderosos canhões de 45 mm.

    Mas a lista esta super completa. Escolher 10 entre as dezenas de super aeronaves é uma tarefa um tanto quanto injusta.

    • stark

      Olá Fabio,

      Isso mesmo, tem uma historia de um encontro entre Erich Hartmann e um par de P-51, o Hartmann conseguiu se colocar em posição de tiro e com apenas 1 rajada derrubou um deles. Coisa de mestre.

      O problema do Yak9 T era que esse canhão não servia para o dogfight já que num combate em curva o peso da bala o fazia cair rapidamente e por tanto era necessário calcular um angulo maior para acertar alguma coisa, mas era muito útil no suporte de tropas e contra bombardeiros.

      Seja Bem-vindo!

  • ROliveira

    Só um adendo, o P-51 era o “caçador” de Me-262 quando esse estava pousando ou na decolagem onde eram extremamente frágil nesse momento, no mais o P-51 em combate aberto perdia de lavada para o Me-262.
    Em que pese sua pouca autonomia de voo do Me-262, mas esse sim foi um caça revolucionário, que se não fosse as ideias absurdas do Hittler, em transforma-lo em caça-bombardeiro, o que atrasou em dois anos sua produção, teria entrado mais cedo e poderia fazer a diferença nos céus para o lado dos alemães, não sei se seria determinante para a vitória, mas creio que o céu da Normandia não seria sido conquistado com tanta facilidade.

    • stark

      ROliveira tudo bem?

      Exatamente, os P-51 só conseguiam chegar perto dos Me-262 no momento do pouso, por isso Adolf Galland tinha no aeródromo do seu famoso JV44 um staffeln de Dora 9 para dar cobertura aos 262 durante o pouso.

      Na questão do desenvolvimento do 262 o hitler errou feio. Alias, se tivesse escutado ao Galland teria entrado em serviço imediatamente em 1943. Com ele no ar teria barrido os bombardeiros aliados do céu da Alemanha e conseguido equilibrar as coisas. O desembarque em Normandia não teria acontecido talvez, porque essa operação só foi possível quando foi garantida a total supremacia aérea. Como os ingleses aprenderam depois em Malvinas, sem superioridade aérea total a coisa fica feia.

      • ROliveira

        Stark

        Tudo pegando sobre controle, rsrsrsrs

        Qualquer tema sobre a Segunda Guerra Mundial dá muito pano para a manga.
        É um assunto vasto, com direito a tudo e mais um pouco, desde teorias da conspiração, batalhas decisivas (que para mim a Batalha de Stalingrado foi a maior derrota Psicológica e de Kursk foi a derrota que realmente minou não só o exercito mas a capacidade industrial alemã) e até ETs.
        Parabéns pelo Site.

        • stark

          ROliveira,

          Com certeza! E por aqui estamos sempre abertos ao debate.

          Volte sempre e obrigado pelo elogio!

          • ROliveira

            Stark

            Te mando um desafio, você postar as dez maiores batalhas da WWII, rsrsrs

    • stark

      ROliveira:

  • Antônio Cavalcante Pessoa.

    O grande brigadeiro Rui Moreira Lima, conta em seu Livro “senta a Pua”, relata que o ten. Roberto Tormin da Costa pilotando um P 47, conseguiu, em treinamento na Itália, colocar dois P 51 pilotados por dois americanos, na sua mira e que ao aterrisar foii abraçado pelos americanos. O TEN. Robert morreu no Brasil
    em um acidente aéreo com um aluno.

  • Pingback: Um adolescente encontra um caça da segunda guerra mundial e o piloto ainda estava no cockpit - Instigatorium()