Pulqui II

Pois é, tenho certeza que você não imaginava isto, mas a Argentina já foi um pais bem avançado e muito a frente do Brasil goste ou não. Hoje é essa bagunça mas ela já se beneficiou de um progresso tecnológico sem precedentes aqui na “amérreca” do sul impulsionada por todos os técnicos e cientistas alemães desempregados depois da segunda guerra mundial.

No final do século XIX e ate os anos 50 do século XX a Argentina experimentava um desenvolvimento econômico muito forte. Na Europa quando alguém estava bem de vida se falava em “rico como um argentino”, tal a fama da prosperidade dos “hermanos”.

Depois da segunda guerra mundial a Argentina do Perón estava nadando em dinheiro e era acredor da Inglaterra por exemplo. Sendo como era o regime do General Perón pro alemão, sem ser aliado dos nazistas mas torcendo forte, é que no final da guerra o país se transformou na segunda casa dos técnicos, soldados, pilotos e oficiais alemães (e ate criminosos) que buscavam la não somente um refugio mas também a grana do General.

A Argentina acolheu todos e lhes deu trabalho, assim entre estes alemães havia uns de grande destaque como o General da Luftwaffe (força aérea alemã) Adolf Galland, ao qual a Argentina deve a doutrina e táticas aéreas que lhe renderam bons resultados depois durante a guerra das malvinas, Kurt Tank que era diretor e técnico chefe da Focke-Wulf que fez um dos melhores caças da guerra o Fw-190, que também era piloto de testes e que desenhou o Ta-183 o qual serviu de base para o design do Pulqui II e Reimar Horten responsável pela primeira “assa” voadora o Horten Ho 229 no qual se copiaram inspiraram os americanos para fazer o famoso B2.

A Argentina era o paraíso para estes alemães, Kurt Tank entrou no país com outra identidade na época mas la era tão seguro para ele que logo começou a usar sua identidade real sem problemas. Perón então convidou Tank para seu programa de desenvolvimento de aviões militares e Tank teria tanta influência que foi ele quem teve decisiva participação na criação da FMA, “Fábrica Militar de Aviones”.

O Pulqui II (Flecha em língua Mapuche) era um derivado do famoso design de Tank do tempo do fim da segunda guerra o Ta-183 que também incluía elementos de um design anterior do francês Dewoitine (também fugido da França por colaboracionismo com os alemães) que não tinha tido muito sucesso, o Pulqui I.

O Pulqui II era realmente promissor, equipado com motores britânicos ele podia chegar a Mach 0.98, que era a velocidade media dos melhores caças da época. Tinha assento ejetor, cabine pressurizada, assas em flecha, bom armamento e uma autonomia respeitável. Chegou a ter inclusive interesse de alguns países como a Holanda e o Egito. Mas a pesar de certo sucesso o programa de desenvolvimento do caça sofria atrasos constantes aliados a um problema de design que fazia com que o caça entrasse em “Stall” quando desenvolvia manobras de combate o que era fatal a baixa altitude.

Pesse a isto o Pulqui II seria o primeiro caça a jato desenvolvido na América do Sul e isso colocava a Argentina na vanguarda do mundo sendo o oitavo país a dominar essa tecnologia.

Versões futuras com radar e motor com pós-queimador foram pensadas porém nunca desenvolvidas. Para a metade dos anos 50 a Argentina se agitava terrivelmente com os problemas políticos e os primeiros sinais de fraqueza econômica. Quando os países da Europa se reconstruíram e já não precisaram tanto das matérias primas da Argentina as exportações caíram, a divida dos países europeus pagas e o programa de gasto elevado levou a crise. O contrato de Tank não fora renovado e o futuro da FMA comprometido com decisões politicas que visavam transformar a FMA numa fábrica de tratores, carros e máquinas agrícolas!

Em 1955 ainda houve um golpe de estado e Perón foi derrotado. O Pulqui II teve seu batismo de fogo sendo usado pelas forças anti-governo (irônico). As missões desenvolvidas por ele não são conhecidas, porém ao finalizar o golpe houve uma tentativa de demonstrar as características do caça e continuar seu desenvolvimento mas o projeto estava muito ligado politicamente ao governo de Perón e por isso mesmo cai em desgraça. Para o ano 1960 o projeto estava cancelado era o fim do sonho.

Pulqui i Pulqui_2 Pulqui_II_Argentine_Museum Pulqui_II_No.05 pulquiIIta183

Fontes aqui, aqui, aqui e aqui.

Pulqui II ou como a Argentina foi o oitavo pais do mundo a ter aviões de caça a jato

stark


We have a Hulk ;-)


Post navigation