Conheça a historia do tanque voador russo

Quando você lê “Russo” e tanque voador na mesma frase, já vai logo assumindo que a historia é bizarra, e é mesmo! Mas em defesa dos amigos soviéticos que nos presenteiam com tantas anedotas para escrever, o conceito foi considerado por quase todos os países em guerra.

Porque inventar um tanque voador? Simples, para resolver o problema de colocar tropas e equipamento atras das linhas inimigas ou pelo menos, colocar esses equipamentos aonde fosse preciso de forma rápida.

Visto dessa maneira a ideia não era ruim, mas no casso do A-40 Krylia Tanka, o departamento de “vai dar ruim” não foi chamado para dar opinião. Mas o importante disto tudo era testar a ideia, e foi testada, e não deu certo.

Hoje se você vê os caras lançando equipamento a baixa altitude com um paraquedas de freio você entende que para isso dar certo, essa ideia teve que ser testada. Bom, assim como os russos fizeram testes com este tanque voador, também o fizeram lançando um tanque a baixa altitude, ou mesmo na água ou de paraquedas.

Durante a segunda guerra mundial a necessidade da guerra implicava que você devia estar continuamente inovando, seja em material de guerra, seja em táticas. Qualquer vantagem podia significar virar a guerra a seu favor.

Os alemães por exemplo, criaram o Me 323 “Gigant” para resolver o mesmo problema de deslocamento rápido de tropas, armamento, veículos e suprimento ao criar o primeiro e verdadeiro avião de transporte como o conhecemos hoje, conceito copiado por todos os desenhistas de aviões de transporte, desde o Hercules até os Antonovs (veja as fotos no final do post).

Voltando ao tanque voador, o conceito era legal até, você colocaria asas num tanque, o faz planar até aonde você quer, o tanque pousa, a tripulação desce, descola as asas e sai para a guerra. Ou seja, era praticamente o mesmo conceito do planador de transporte que era usado na época em operações aerotransportadas mas neste caso o planador era o mesmo tanque.

Então os russos pegaram um T-60, tiraram tudo que podiam dele, luzes, equipamentos, armamentos, munições e uma quantidade minima de combustível. Depois de deixar o tanque o mais leve possível, adicionaram as asas e o deixaram em condições de ser rebocado por um velho bombardeiro TB-3 (aquele que os paraquedistas desciam caminhando pela asa antes de pular).

Conheça o Antonov An-225, o maior avião do mundo!

Em setembro de 1942 tudo estava pronto para o primeiro teste. O TB-3 começou a correr pela pista e chegou a decolar mas o voo não durou muito, o piloto logo percebeu que o tanque voador criava uma arrasto muito grande e deixava o velho TB-3 muito instável correndo risco de cair. Assim o piloto fez o certo, desenganchou o tanque e deixou ele planar alguns metros até pousar. Retiraram as asas e o tanque rodou até a cabeceira da pista sem problemas.

Foi uma operação com sucesso, porém muito parcial. Primeiro, o tanque voador causou um efeito de resistência aerodinâmica muito grande, a falta de um avião rebocador potente não deixaria o projeto ir para frente. Segundo, o tanque devia ir praticamente vazio e a tripulação que devia ser lançada com o tanque, por segurança, teria que ser enviada por separado, o que restaria eficacia e rapidez a operação. Terceiro e último, mal funcionava com tanques pequenos e leves, nunca funcionaria com um T-34 de 30 toneladas (o T-60 pesa 7).

A-40 Krylia Tanka, o tanque voador

Única foto do A-40 em voo.

A-40 Krylia Tanka, o tanque voador TB-3

Esse é o TB-3…

A-40 Krylia Tanka, o tanque voador tb-3

Aqui um outro teste, TB-3 soltando um tanque a baixa altitude.

A-40 Krylia Tanka, o tanque voador me-323

Aqui o antecessor de todos os aviões de transporte modernos, o Me 323

A-40 Krylia Tanka, o tanque voador me323

Aqui carregando um veiculo blindado e uma arma de artilharia.

A-40 Krylia Tanka, o tanque voador TB-3

TB-3 lançando paraquedistas. Ser russo nunca foi fácil!

A-40 Krylia Tanka, o tanque voador me323 marder

Aqui o Me 323 carregando um canhão auto-propulsado que parece ser um Marder

A-40 Krylia Tanka, o tanque voador T-60

Aqui o T-60 em questão

Fonte: No tempo em que os tanques de guerra voavam – Airway

stark

We have a Hulk ;-)

Você pode gostar...