Este soldado japonês continuou a lutar por 30 anos após o Japão se render

Conheça a impressionante historia do soldado japonês que não acreditou no fim da segunda guerra mundial, continuou a lutar e somente se rendeu quando quase 30 anos depois seu antigo oficial superior viajou para pessoalmente o relevar da sua missão.

É uma historia e tanto. Onoda trabalhava contratado por uma empresa japonesa na China ocupada pelo Japão. Quando fez 20 anos se alistou no exercito imperial. Ele passa por um treinamento básico e logo é enviado para ser treinado como oficial de inteligência, lá ele é treinado em guerra de guerrilhas.

Quando foi enviado para a ilha de Lubang nas Filipinas a sua missão era destruir o porto e o aeródromo e atrapalhar ao máximo aos americanos, cuja invasão da ilha era iminente. Lubang era e ainda é estratégica, esta localizada na entrada à bahia que da acesso a capital das Filipinas, Manila.

Quando a invasão acontece, ele é impedido pelos seus oficiais superiores de realizar a destruição dos locais estratégicos, fato que facilitou a vida dos americanos. Ele recebeu em cambio ordens de resistir e nunca se render afirmando que, mesmo o exército japonês se retirando da ilha eles iriam voltar para resgatá-lo. Porém o resgate nunca aconteceu e Onoda se dispus a cumprir suas ordens, para isto ele e mais três soldados fugiram para as colinas para se esconder e resistir.

Onoda e seu grupo então começaram operações de guerrilha matando 30 filipinos e entrando em combate diversas vezes com a policia. Em outubro de 1945 Onoda viu por primeira vez um panfleto que anunciava o fim da guerra, o que tinha acontecido 2 meses antes. Onoda estudou cuidadosamente o panfleto e analisando os últimos acontecimentos, pensou que se a guerra tinha terminado mesmo não teriam sido atacados como foram, concluiu então que o panfleto era propaganda para enganar-los e forçar-los a se render.

Agora a parte dramática da historia, em 1949 um dos seus soldados se separa voluntariamente do grupo sem eles saberem, rendendo-se 6 meses depois. O grupo de Onoda viu isto como uma ameaça a sua segurança e redobraram esforços para não serem achados. Grupos de busca filipinos tentaram e até aviões soltaram fotos de família e cartas para convencer o grupo a se render, eles acharam tudo aquilo um truque dos aliados.

Em 1953 em um enfrentamento com pescadores locais um outro soldado do grupo é ferido na perna, Onoda cuida dele e se recupera, porém morre em 1954 em um enfrentamento com um outro grupo de busca filipino.

Anos depois em 1972, Onoda e seu último soldado disponível, Kozuca, estavam queimando arroz como parte de uma operação de guerrilha quando foram surpreendidos pela policia, Kozuca então é baleado e morto. Onoda tinha sido declarado morto de 1959, quando este evento aconteceu ficou demonstrado que ele podia ainda estar vivo e mais times de busca foram enviados, porém Onoda não foi encontrado.

Só em 1974 Onoda foi achado por um jovem japonês, Suzuki, que havendo escutado da historia do Onoda foi até a ilha para o procurar. Os dois viraram amigos porém Suzuki não pode convencer Onoda a deixar a floresta, retornando ao Japão unicamente com fotos que ele tomou de Onoda como prova da sua experiência.

A historia toda chegou até o governo japonês que dispus que o antigo oficial superior de Onoda fosse buscado para que se deslocasse até a ilha e desse ordens a Onoda de depor as armas. Onoda finalmente fora relevado da sua missão, entregando sua espada, seu rifle Type 99 em perfeito estado de funcionamento, 500 cartuchos de balas e algumas granadas.

Onoda só não seria o último soldado japonês a se render, Teruo Nakamura seria capturado na Indonésia alguns meses depois. Alias, houve casos de soldados japoneses lutando durante a guerra da Indochina e até do Vietnã!

Onoda acabou mudando-se para o Brasil em 1975 e morou em Terenos no Mato Grosso do Sul. Ele faleceu recentemente no Japão aos 91 anos.

Vi na Wiki

onoda 1 onoda onoda3 onoda4

stark

We have a Hulk ;-)

Você pode gostar...