Salyut 7, a estação espacial russa resgatada da morte

Esta é a interessante e esquecida historia do resgate da estação espacial Salyut 7. Este resgate foi um marco na historia das missões espaciais que permitiu desenvolver todas as técnicas que seriam usadas mais tarde na Myr e que continuam a serem usadas ate hoje na ISS.

Todo mundo se lembra da época de ouro digamos, da exploração espacial que culminou com a chegada do homem à Lua. Poucos conseguem nomear algum outro marco histórico após isso. Outros grandes marcos foram atingidos após 1969 mas nem de perto com o mesmo impacto mediático.

Isto pode ser visto claramente no filme Apolo 13. Se algum leitor se lembra bem, os astronautas da missão iniciam uma transmissão ao vivo porém, ninguém esta vendo. Para a TV americana uma missão à Lua já era noticia velha que não dava Ibope.

salyut 7

Algo assim aconteceu durante toda a década de 70 e 80. Só as espetaculares decolagens do ônibus espacial concitavam certa atenção. Enquanto isso, os russos emplacavam um apos o outro novos recordes.

!0 curiosidades sobre a estação espacial Myr

Um destes recordes esta ligada a Salyut 7. Você deve se lembrar da primeira mulher cosmonauta, Valentina Tereshkova, mas com certeza vai ter dificuldades para se lembrar de quem foi a segunda. A Svetlana Savitskaya pode ter uma ideia diferente quanto a isso. Ela foi a segunda mulher cosmonauta e a primeira civil. Foi a primeira mulher a habitar uma estação espacial e ainda guardaria um outro recorde, ela foi a primeira a realizar um EVA ou caminhada espacial de 3 horas de duração na qual realizou reparos e testou ferramentas. Svetlana ainda viajaria uma segunda vez para visitar a Salyut exitosamente.

Uma curiosidade foi que uns dos reparos realizados durante estes EVAs foi realizada com uma ferramentas enviada desde terra numa nave de abastecimento, sendo outro marco histórico esquecido.

salyut 7

A Salyut 7 ainda seria parte da historia por ter dois docas, uma para abastecimento e outra para tripulações. Também por ter sido lançado desde lá o primeiro satélite amador de comunicações no que foi o primeiro lançamento de um satélite em orbita, tempos antes do ônibus espacial fazer o mesmo aquele ano.

Historia do resgate

Após a terceira missão visitar a Salyut 7, a estação entrou em piloto automático. Algum tempo depois o monitoramento desde a terra descobriu uma falha elétrica importante. A estação espacial lançada em 1982 precisava reparos, estava morta no espaço, não respondia a nenhum comando enviado desde terra. Para os russos era uma estação demasiado valiosa como para deixa-la morrer. Alias, tão valiosa que os americanos cogitaram enviar um ônibus espacial para sequestra-la.

Os russos talvez sabiam disto (ou não) e decidiram fazer todos os esforços para resgatar a estação. Para isso enviaram uma missão em 1985 com dois cosmonautas. A Soyuz que os levou teve retirado o sistema de doca automático pela simples razão de que não seria necessário pois a Salyut 7 não respondia e o sistema seria inútil.

salyut 7

Svetlana numa EVA realizando tarefas de manutenção na salyut 7

O espaço resultante seria usado para carregar suprimentos, água, comida e combustível extra. Lembrando que como a estação estava morta no espaço não poderia ser utilizado o método habitual de enviar uma nave Progress (sim, aquela que até hoje envia carga para a ISS) com suprimentos para acoplar na outra doca da estação.

A missão tinha pouco mais de 70% de chance de sucesso. Os russos deram luz verde mesmo assim. Como o sistema automático de doca não funcionava, os engenheiros tiveram que inventar uma serie de novos procedimentos para doca manual, incluindo até óculos de visão noturna caso o rendez-vous fosse a noite.

salyut 7

A acoplagem manual da Soyuz foi um sucesso, usando um laser e uma técnica para igualar a rotação das duas naves. Ao chegar constataram que os painéis solares estavam desalinhados e que isso podia ser a falha elétrica.

Os cosmonautas tinham que fazer os reparos rapidamente antes que os suprimentos para 8 dias acabassem. Ao abrir a escotilha de comunicação uma corrente de ar gelado entrou na Soyuz. Os perigos eram muitos, a estação podia ter sofrido um incêndio e os níveis de CO2 podiam ser mortais.

Com roupas de inverno os cosmonautas começaram os reparos, um de cada vez, já que simplesmente a respiração podia gerar níveis de CO2 perigosos dentro da Salyut 7 devido a que o sistema de reciclagem de ar não funcionava. Finalmente a causa do problema foi achada, uma bateria e um sensor defeituosos foram trocados e a estação voltou a vida.

salyut 7

Apos os reparos, um dos cosmonautas ainda ficaria na Salyut por mais de 100 dias.

Outro marco histórico

A Salyut continuaria a trabalhar por bastante tempo mesmo com a nova estação espacial Myr já em funcionamento. Em 1986 a primeira tripulação de ocupação da Myr viajou desde lá até a Salyut 7 para coletar instrumentos e suprimentos valiosos no que seria a primeira viagem espacial entre estações em orbita da historia. Um feito extraordinário para a época nunca mais repetido até hoje.

A ideia dos russos era usar a Salyut 7 em missões futuras, porém uma combinação de fatores dentre eles a queda da união soviética, a crise econômica e o encerramento do programa do ônibus especial Buran fizeram com que a estação fosse abandonada definitivamente.

salyut 7

Em 1991 a orbita decadente da estação a levou à reentrada na atmosfera terrestre em algum lugar sobre a América do Sul finalizado quase 10 anos de recordes e exitosas missões espaciais.

stark

We have a Hulk ;-)

Você pode gostar...