Tecnologia é usada para achar cidade Maya perdida


Pesquisadores usam uma novidade tecnológica para explorar mais de 2000 quilômetros quadrados de selva no norte da Guatemala em busca de uma cidade Maya perdida

O resultado do trabalho foi a descoberta de mais de 61.000 estruturas de todo tipo, desde piramides ate casas. Outras estruturas como canais, estradas, fazendas também foram exploradas graças ao Lidar (light detection and ranging).

As estruturas Mayas descobertas são uma valiosa forma de avançar na compreensão de como funcionava a sociedade Maya, a sua organização politica e econômica, ao mesmo tempo deu importantes informações sobre a magnitude das transformações geográficas que os Mayas realizaram no território que ocuparam.

Exploração

O grande problema das ruínas Mayas é que ficam atualmente dentro de uma densa floresta tropical. Quase toda a área ocupada pelos Mayas foi radicalmente transformada por eles. Hoje para poder explorar todos os vestígios, cidades, templos e piramides, os pesquisadores teriam que derrubar boa parte da floresta.

mayas

Acima à direita um edifício de 500 AC, à esquerda uma acrópolis 1000 anos mais nova.

Como isso é claramente irracional, os cientistas buscam e mapeiam as cidades com a ajuda da tecnologia. Certamente explorar a região, carregar instrumentos, suprimentos e aparelhos de todo tipo é impossível em tais condições, logo o Lidar é utilizado a bordo de aviões.

O Lidar funciona como magica, ele mapeia todas as estruturas invisíveis desde o ar e que estão escondidas sob a densa floresta tropical. De forma quase magica cria imagens “sem arvores” que mostram apenas os relevos do terreno. Desta forma os cientistas conseguem identificar as construções não naturais.

Primeira analise

Ao verificar as imagens captadas pelo Lidar os pesquisadores encontraram casas, palácios, lugares cerimoniais, piramides, etc. A quantidade de estruturas permitiu estimar a quantidade de habitantes desta área da Guatemala em cerca de 11 milhões entre os anos 650 e 800 depois de cristo. O numero coincide com estimativas anteriores, de qualquer maneira surpreende.

mayas

Alem das estruturas os pesquisadores conseguiram identificar 362 quilômetros quadrados de terraços usados para agricultura e mais de 900 quilômetros quadrados de terra modificada para cultivo. Isto demonstra que o nível da modificação da natureza foi massivo para poder alimentar a todos os habitantes desta área.

Por ultimo graças ao Lidar uma analise posterior mostrou mais de 110 quilômetros quadrados de uma rede de caminhos que comunicavam todas as comunidades inclusive ligando com cidades mais afastadas. Alguns dos pontos das vias de comunicação também possuíam fortificações.

O que mais surpreende destas analises é a escala da molificação do entorno natural dos Mayas, muito alem do imaginado. A analise das imagens pode levar vários meses e muita coisa ainda pode ser descoberta.

Concluindo

Mesmo com as imagens e toda a informação coletada, nada substitui a exploração no local. É esperado que os pesquisadores organizem expedições para ver no local tudo que descobriram graças a tecnologia.

Os Mayas abandonaram as suas cidades por volta do ano 1000 depois de cristo sem que ate hoje tenhamos uma explicação clara para esse evento. Secas, desastre ambiental, guerras ou tudo isto ao mesmo tempo podem ter colaborado para o colapso desta incrível civilização.

Fonte: aqui.

stark

We have a Hulk ;-)

Você pode gostar...