Tragedia em jogo River-Boca que deixou 71 mortos em 1968

No final de semana passado o futebol sul-americano viveu um dia negro. Incidentes graves antes do grande clássico jogo River-Boca não permitiram o desenvolvimento do evento mais importante dos últimos tempos. Coincidentemente ha 50 anos atras acontecia uma tragedia num jogo River-Boca que deixou 71 mortos e 113 feridos.

A tragedia do portão 12 aconteceu num jogo River-Boca no final dos anos 60. Nunca encontrou-se o responsável e as raçoes do ocorrido são ainda um mistério.

Turistas que chegam a Buenos Aires diariamente visitam o estadio Monumental de River Plate e tiram fotos perto de um brasão do famoso clube. Muitos ignoram que um 23 de junho de 1968 nesse mesmo solo haviam pessoas mortas empilhadas, caos, dor e gritos. As roupas, sapatos e demais itens estavam espalhados por todo lado completado o cenário dantesco.

Ali os turistas tiram selfies justo ao lado do portão 12, que hoje é chamado de portão L (curiosamente a 12 letra do alfabeto).

Testemunha

Juan Nicholson é um prestigioso advogado e ex-presidente da Associação Argentina de Golfe. Ele quase não vive para ter essa vida. “Eu estava no olho do furacão”. Naquele dia Juan estava na escadaria junto com uns amigos quando num momento dado não conseguiram avançar. Desde o local onde estavam não podiam ver o que acontecia exatamente, mas estavam longe o suficiente para poder saber o que acontecia. Começaram a gritar aos que estavam mais para cima para pararem de empurrar.

jogo River-Boca

“De repente, devido à pressão humana, um estranho efeito surgiu e começamos a decolar do chão. Quase meio metro no ar, incapaz de me mexer. Até em um ponto que a pressão cedeu e começou a nos atirar uns contra os outros. Foi quando meu melhor amigo, Guido Von Bernard, morreu de uma pancada na cabeça contra a parede à esquerda.”

Aquele dia a sorte estava com Juan, ou talvez a morte tenha se esquecido dele.

“Felizmente, eu caí em um corpo macio, e ao mesmo tempo havia mais pessoas caindo em cima de mim. Eu tive o sorte, ou inspiração divina de fazer um tipo de buraco e salvar o máximo de ar possível para sair, e em um momento, com ajuda e golpes desesperados, conseguiram me tirar”.

O que pode ter acontecido

Ha duas versões sobre o que pode ter acontecido aquele dia. O primeiro baseado em testemunhos diz que os funcionários do estadio teriam esquecido de remover as catracas e que a porta de saída não estava completamente aberta. Mas ha outros versões de testemunhas que dizem que as portas sim estavam abertas. Pode ser factível que os funcionários do estadio tenham se esquecido de remover alguma catraca devido a que o jogo que estava empatado quase no final e bastante emocionante naquele momento.

jogo River-Boca

A segunda versão diz que a policia organizou-se para cercar a saída dos torcedores de boca para poder prender vários dentre eles. Durante o jogo os “barras bravas” lançaram projeteis e cantaram a marcha peronista, que devido ao momento politico da ditadura Argentina, estava estritamente proibido e dava cadeia. Isto teria bloqueado a saída pela porta 12.

Algo é certo e é que nos anos 60 a preocupação com segurança era minima. Juan ainda contribui com o seu ponto de vista.

“De minha localização não posso confirmar ou negar que as portas foram fechadas, muito menos dar uma opinião sobre a questão das catracas, mas descarto qualquer ação fraudulenta da polícia. Naquela tarde, mesmo no meio do desespero, foi muito bom”.

Nicholson acredita que se houve um problema com as portas ou as catracas foi devido a falta de atenção, devido à situação do jogo naquele momento. “Muitas vezes a vida é assim. situações infelizes”.

Investigação

Com as diferentes versões dadas pelas próprias testemunhas da tragedia foi difícil para o juiz atuante na causa estabelecer responsabilidades. Inicialmente dois funcionários do River Plate foram pressos preventivamente. Conjuntamente o juiz emitiu ordem de apreensão de 200 milhões de pesos argentinos das contas do clube e dos funcionários citados.

jogo River-Boca

Interessante foi que quase 5 meses depois da tragedia um trio de juízes absolveu definitivamente os dois funcionários e levantou o embargo. Os três consideraram que os obstáculos na porta 12 tinham sido devidamente removidos.

Os parentes das vitimas ainda recorreram ao Supremo Tribunal mas a causa deles foi arquivada. Um ano depois, em 1969, já esgotados os recursos (e o dinheiro) os parentes desistem do apelo.

Ainda no final de 1968 os clubes River e Boca, junto com a AFA, arrecadaram 32 milhões de pesos (hoje menos de 100 mil dólares) para doar aos parentes das vitimas. Foi a unica compensação que receberam.

Hoje

Este ano se cumprem 50 anos daquele super clássico River-Boca que deixou 71 mortos e 113 feridos. No portão 12 (hoje L) ha uma pequena placa que passa despercebida que lembra a tragedia. Os nomes dos 71 mortos não estão listados em lugar algum.

jogo River-Boca

jogo River-Boca

Vi isto aqui.

stark

We have a Hulk ;-)

Você pode gostar...